Posts Marcados Negócios

Os benefícios que o Twitter tem a oferecer


Andreas Weigend, na continuação de sua palestra, explicou deu ênfase na importância estratégica que pode ter um novo meio de comunicação, como é o Twitter. Leia mais!

Aproveitar o que a sensação do momento, o Twitter, tem a oferecer pode trazer bons frutos para um bom negócio. O verbo inglês “to twit” significa “piar”, como faz um passarinho. Em 140 caracteres, é praticamente isso que os usuários do serviço fazem no mini-blog. Oferecem suas opiniões a respeito de qualquer coisa, para o mundo todo.

“No início da televisão, fazia-se o mesmo que nos tempos do rádio. Mas TV não é isso – é muito mais, assim como a internet não é uma televisão melhorada. O Twitter parece ser apenas um simples serviço de mensagens curtas, mas veremos em algum tempo que é mais que isso”, diz Andreas Weigend.

Uma maneira de utilizar o serviço é acompanhar o que os internautas comentam a respeito de um produto ou tema específico. Para isso, basta digitar o que você procura no sistema de busca do site para saber o que “twiteiros” em todo mundo têm a dizer. Ao identificar alguém com perfil de potencial cliente ou usuário, seguir seus “twits” dá a oportunidade de conhecer melhor seus hábitos e o que elas têm a dizer sobre sua área de interesse. “Você não tem custo nenhum com isso e as pessoas não se cansam de fazer perguntas ou reclamar”, comenta.

Isso sem falar na possibilidade de manter contato direto com um potencial cliente. Uma empresa citada por Weigend como exemplo de quem aprendeu a usar o serviço foi a Dell. Em janeiro de 2009, a empresa tinha 7 mil seguidores em sua página no Twitter. Seis meses depois, multiplicaram por dez e chegaram a mais de 70 mil. “Eles usam o canal para fazer promoções entre seus seguidores e trocar impressões com seus clientes”, sugere o palestrante.

Outra alternativa é oferecer diretamente ao internauta algo que você sabe que pode lhe interessar no momento. Um viajante sobe um comentário no qual diz ter chegado a uma determinada cidade. Sua empresa oferece alguma dica ou serviço de acordo com a situação. “Não se trata de algo que eu goste, mas pode, sim, trazer resultados”, comenta, citando um exemplo.

“Por mais que ainda pareça um universo restrito a pessoas com menos de 23 anos, é uma nova maneira de se comunicar e ainda sem limites. Cabe a cada um aprender a explorar”, sugere.

HSM Online

, , ,

Deixe um comentário

Nove dicas sobre Negociação


Especialista afirma que o ato de negociar acontece o tempo inteiro e dá algumas dicas para melhorar o processo de negociação

Faz muitos anos que me dedico ao estudo da Negociação. Por mais que leia, pesquise e aplique, sempre acabo me surpreendendo com algum fato novo e aparentemente óbvio, mas que sempre acaba deixando uma importante lição. Uma das primeiras coisas que faço nos meus cursos é alertar os participantes de que a negociação faz parte da vida.  “Não adianta fugir! A qualquer momento, mesmo sem perceber, lá estarão vocês negociando alguma coisa com alguém”.

Como dizem que para você conhecer profundamente um assunto é preciso, primeiramente, tentar provar que ele está errado, tentei encontrar uma forma de derrubar essa tese, lançando um desafiando a mim mesmo. “Hoje ― pensei eu ― vou ficar em casa desenvolvendo um curso novo. Estou sozinho. Então vou tentar ficar o dia inteiro sem negociar”.

Tudo estava correndo às mil maravilhas! As ideias fluíam.  O curso estava quase pronto, até que em determinado momento lembrei que precisava ir à livraria buscar um livro ― de negociação é claro! ― que havia encomendado.  Parei de escrever! Uma parte de mim dizia ― “Márcio! Esse livro é uma raridade. Foi muito difícil conseguir. Você precisa ir logo lá ou vai correr o risco de perdê-lo!”.  Mas a outra contestava ― “Nada disso! Você precisa é terminar logo esse curso. O material tem que ir pra gráfica amanhã pela manhã! O livro você pode pegar outra hora”.

Esses pensamentos persistiram por alguns instantes e pareciam duelar dentro da minha cabeça com argumentos que me convencessem a tomar uma decisão.  Até que tomei consciência do que estava acontecendo ― Eu estava, simplesmente, negociando comigo mesmo! Acabei dando uma boa risada da situação e decidindo o que devia fazer.  Pra matar a sua curiosidade, eu digo ― acabei indo à livraria! A tese de que eu poderia ficar o dia sem negociar havia caído por terra! Pensando nisto, escrevi nove dicas para um direcionamento melhor da negociação. Confira.

Primeira dica – Antes de negociar com o oponente você precisa negociar com você mesmo.

Segunda dica – Não demonstre timidez quando estiver negociando ― Quando estiver negociando diversos produtos ou serviços, peça um bom desconto ou algo grátis.  Se não pedir não vai conseguir.  Então tente!

Terceira dica – Não se deixe envolver pela emoção ― Procure manter a calma mesmo quando o oponente se mostrar irritado e nervoso.  Não se esqueça de deixar o ego ou o orgulho do lado de fora da sala de negociação.

Quarta dica – Não se deixe impressionar pelos regulamentos ― Quando receber um contrato para assinar e não concordar com alguma cláusula, risque e coloque seu parecer. Se o oponente disser que você não poderia fazer mudanças no contrato, diga: “É mesmo? Como sou eu que vou assinar sinto-me no direito de fazer as alterações que julgar necessárias”. Não se curve a afirmações do tipo ― “A nossa maneira de negociar é esta” ou “você não tem autoridade para fazer isso”.

Quinta dica – Nunca dê o primeiro lance ― Ao invés de dar o custo do seu produto ou serviço, pergunte ao cliente “Quanto o senhor está disposto a gastar?” ou “Qual é o seu orçamento para este contrato?”.  Você poderá se surpreender com um valor mais alto do que esperava.

Sexta dica – Peça sempre mais do que espera receber ― Mesmo que o oponente ofereça mais do que você esperava, nunca aceite a primeira oferta.  Sem ser arrogante ou agressivo, diga algo como ― “Você precisa melhorar essa oferta”!

Sétima dica – Deixe que o oponente pense que a decisão final não é sua ― Alguns negociadores demonstram pressa para fechar o negócio e pressionam de diversas formas.  Especialmente quando o negócio é bom para eles. Você deve demonstrar tranquilidade.  Deixe que ele pense que antes da palavra final você precisará conversar com o seu chefe, esposa ou sócio.  Se ele quiser falar diretamente com essa pessoa, não deixe.  Se achar conveniente, diga que só poderá dar a resposta “amanhã”.

Oitava dica – Não demonstre muito interesse no negócio ― Quem demonstra muito interesse ou pressa em fechar o negócio tende a fazer um mau negócio.  Vá com calma e, se for necessário, dê a impressão que está desistindo e deseja retirar-se.  Se a estratégia não der certo e você tiver interesse no negócio, diga algo ― “Está bom! Vamos continuar a negociação mas você precisa ceder um pouco”!

Nona dica – Não deixe que o oponente se sinta encurralado ― Muitos negociadores partem para cima do oponente a ponto de deixá-lo encurralado.  Não caia nesse erro!  Ou o oponente vai segurar as concessões com medo da sua agressividade ou vai querer dar o troco, o que também não vai ser bom para ninguém.

Márcio Miranda (Presidente da Workshop Seminários Práticos e consultor especializado em
Vendas e Negociação. Autor dos bestsellers “Negociando Para Ganhar” e “Tá Fechado!”. –
www.workshop.com.br)

HSM Online

, , ,

Deixe um comentário

10 dicas para um marketing mais estratégico


Em um mercado tão dinâmico e cheio de mudanças tecnológicas e comportamentais, as empresas se perdem em suas ações de marketing e acabam apostando fichas em negócios errados. E pior, nada rentáveis. Se encantam com as novas ferramentas e esquecem que o conceito continua o mesmo. Investem, geram custo e o retorno muitas vezes não valoriza a marca.  Aquela máxima que o óbvio também precisa ser dito pode ser, e é neste caso uma grande verdade. Sérgio Santos, coordenador da área de marketing e marketing de serviços da Pós-Graduação da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) listou 10 dicas para os leitores do HSM Online sobre como tornar o Marketing mais estratégico. Confira.

1 – Analise o macro ambiente e o mercado em que seu negócio está inserido, de forma a entender suas principais tendências e identificar potenciais ameaças e oportunidades. As tendências macro ambientais são mais estáveis e duradouras.  Didaticamente podem ser divididas nas seguintes arenas: macrotendências, da arena sócio-cultural, econômicas, natural (relativa aos recursos do meio ambiente), política-legal, tecnológica e demográfica. Alguns exemplos de tendências que podem influenciar são: a tendência de envelhecimento da população brasileira (demográfica); crescimento do poder aquisitivo (econômico); maior preocupação com a saúde e o meio ambiente (sócio cultural).

2- Analise seu mercado, identificando sua situação competitiva e seu poder de barganha frente aos demais players (fornecedores, clientes e intermediários). Um bom exemplo é a concentração do varejo ( menor numero de empresas controlando uma maior parte das vendas) aumenta o poder de negociação deste perante os fornecedores da industria. Este maior poder de barganha possibilita, potencialmente, pressionar os fornecedores por menores preços ou um maior  número de serviços agregados.

3- Desenvolva uma visão de negócio de longo prazo, focada no mercado e nos valores da Marca;

4- Crie uma equipe multidisciplinar que seja capaz de analisar a situação real da sua empresa, identificando pontos fracos e fortes e suas relações com as ameaças e oportunidades identificadas.  Geralmente, para esse fim, a matriz mais utilizada é a Matriz SWOT ou PFOA, que possibilita a análise das Potencialidades (P) e Fraquezas (F) da empresa em conjunto com as Oportunidades (O) e Ameaças (A) do ambiente, permitindo uma leitura mais clara do ambiente no qual a empresa está inserida.

5- Analise seu mercado buscando identificar os diferentes segmentos de consumidores. Avalie as características de cada segmento (demandas, tamanho, estabilidade) e selecione aqueles nos quais você terá maior competitividade. A partir daqui devem ser desenvolvidas as próximas dicas, de 6 a 10.

6- Determine objetivos claros, preferencialmente quantificáveis e sempre factíveis. Na verdade, somente após definir qual o público que a empresa quer focar é que você poderá definir objetivos de vendas, rentabilidade, posicionamento, imagem, etc.

7- Desenvolva um posicionamento único e valorizado para sua oferta de produto ou serviço. Garanta que esse posicionamento seja conhecido e valorizado por todos os envolvidos na sua operação (colaboradores, distribuidores, revendedores e clientes).

8- Elabore um Plano de ações que garanta o desenvolvimento de um Marketing mix (Produto, Preço, Distribuição e Comunicação) capaz de construir efetivamente o posicionamento escolhido.

9- Não se esqueça de disseminar o Plano de Ações para todas as áreas e profissionais envolvidos no planejamento e na execução. Garanta que cada um entenda a importância do Plano e qual a sua contribuição individual para seu sucesso.

10- Estabeleça um processo periódico para acompanhamento dos resultados e faça, se necessário, revisões e ajustes no Plano. A periodicidade das revisões desse Plano varia de mercado para mercado. Nos mercados mais dinâmicos a periodicidade chega a ser trimestral.

HSM Online
12/02/2010

,

Deixe um comentário

Publicidade online bate recorde


Setor deve fechar 2009 com crescimento de 24% em relação a 2008

A internet brasileira encerra 2009 com o maior volume de investimento publicitário de sua história. Conforme o Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil), instituto que trabalha para a difusão dos meios interativos, o segmento online deve ficar com 4,2% do total que foi investido pelo mercado publicitário no país. Há três anos, essa fatia era de 1,78%. A expectativa é de que o aumento seja de 24% em relação a 2008, e alcance R$ 940 milhões. Os dados de dezembro e o acumulado do ano serão divulgados em março.

De acordo com a entidade, o bom resultado é consequência da forte expansão do setor. Se comparados os faturamentos dos meios de comunicação entre novembro de 2008, no auge da crise mundial, e o mesmo mês em 2009, os dados indicam que o maior salto foi dado pela internet, que cresceu 37,19%. Os jornais expandiram em 1,8% seu faturamento, e as revistas, em 4,99%.

No acumulado de janeiro a novembro de 2009, o cenário foi semelhante. As empresas de internet cresceram 23,27% em relação ao mesmo período do ano anterior. A média de crescimento dos meios de comunicação em geral – revistas, jornais e emissoras de televisão, entre outros – foi de 2,11%.

Conforme o instituto, a democratização no acesso à internet no país deve impulsionar ainda mais estes investimentos vindos da publicidade. Além disso, o Brasil continua sendo o país que por mais tempo acessa a internet no mundo, com 24 horas e 48 minutos por mês. A chegada da internet aos telefones celulares promete ampliar esses valores. O resultado disso é uma mudança no mercado publicitário que, diante da expansão no número de internautas no país, precisa se adequar ao novo público e dar mais atenção a esse meio.

Fonte: Coletiva.net

, ,

Deixe um comentário

Beijo embriagante


Heineken lança gloss com sabor de cerveja

Em ação viral para o Valentine’s Day, a Heineken criou um presente ideal para que os homens comprem para as suas namoradas: um gloss com sabor de cerveja. Ela fica feliz (ou quase) e você mais ainda.

Além do site do produto (em italiano), o vídeo abaixo (em inglês) demonstra as melhores maneiras de uso, e recomenda reaplicação frequente. Podia ser apenas uma brincadeira, mas o gloss está a venda no site da Heineken, por 4,90 euros.

A criação é da JWT de Milão, o mesmo pessoal da aclamada pegadinha Heineken.

fonte: Brainstorm #9
isso é que é unir o agradável ao agradável… =)

Concordo plenamente Pava

, ,

Deixe um comentário

Analista é flagrado com fotos picantes ao vivo


O sujeito entrou no ar ao vivo para falar sobre taxas de juros a uma TV na Austrália. Só que o analista financeiro do Macquarie Bank, em Sydney, não podia esperar que a câmera flagrasse imagens picantes que surgiam em um computador ao fundo…

Mulheres nuas, outras de topless e até uma pose provocante da atriz Miranda Kerr foram vistas pelos telespectadores do Channel 7. No fim, o cinegrafista ainda dá um close da imagem que salta da tela do computador. No fim, o constragimento da apresentadora e um amarelado “thank you”.

Veja o vídeo no Globo

Ohhh carência…a taxa de juros sobe rsrsrs

, ,

Deixe um comentário

Flamengo e Corinthians tomam goleada em Marketing


O Brasil é o país mais vezes campeão no esporte mais popular do mundo, o futebol. Pela quantidade de pessoas que acompanham cada detalhe dos campeonatos e vibram nos jogos como se fossem um verdadeiro “acontecimento” em suas vidas, é fácil perceber que somos um povo fanático por esse esporte.

E essa relação torcedor x clube ultrapassa o limite da razão e estabelece um vículo emocional de dar inveja a qualquer marketeiro que trabalha com produtos ou serviços “convencionais”. Já imaginou se uma consumidora de Activia, por exemplo, fosse tão envolvida e apaixonada pela marca como é um corinthiano roxo?

Com esse contexto, os times brasileiros têm a faca e o queijo na mão pra fazer uma belíssimo trabalho de valorização e exploração de marca. Mas… parece que ninguém sabe ou quer fazer isso direito.

A consultoria Crowe Horwath RCS divulga anualmente uma estimativa do valor das “marcas” dos principais clubes do mundo. Ao cruzar essa informação com a quantidade de torcedores que cada um tem, chegamos a um resultado pífio. Em geral, os clubes europeus sabem trabalhar MUITO melhor as suas marcas, mesmo com menos torcedores.

O Flamengo, por exemplo, é o time com a maior torcida do mundo (33 milhões de torcedores no Brasil!), mas sua marca não vale nem 1/5 do valor da marca “Manchester United”, que tem apenas 4 milhões de torcedores na Inglaterra (veja gráfico abaixo).

Somos bons de futebol, mas de Marketing….

Fonte: Mundo do Marketing

, , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: