Posts Marcados Evangélicos

Caminho Consciência


Hoje no Brasil existem coincidências estranhas:

1. O Brasil ainda que mais rico, tem as mesmas diferenças abissais sociais;
2. Essa geração tem mais estudo, curso superior é um objetivo cada vez mais acessível mas nunca se viu tanta transgressão das leis;
3. Saímos da ditadura e da era dos governantes biônicos há quase 30 anos e os políticos continuam sendo os piores;
4. O Brasil se tornou mais do que nunca uma ‘nação evangélica’, com milhões de adeptos, bancada evangélica no Congresso, prefeitos e governadores – Realizamos o chavão do começo da década de 90: “O Brasil é do ‘Senhor Jesus’, povo de Deus declare isto!”

O QUE MUDOU?

Alexandre Godinho

Anúncios

Deixe um comentário

Caio Fabio comenta sobre os “Novos Evangélicos” (revista Época)


Segue um vídeo onde Caio Fabio dá sua opinião sobre a matéria da revista Época. A meu ver ele esta completamente certo e coerente com sua mensagem de sempre.

Infelizmente vários nomes citados, com alguma excessão, são mesmo uns bundões!

A Nova Reforma Protestante

Uma nova reforma inútil…

Deixe um comentário

A nova reforma Protestante


Ricardo Alexandre, na Época

Procurado por ÉPOCA, Geraldo Tenuta, o Bispo Gê, presidente nacional da Igreja Renascer em Cristo, preferiu não entrar em discussões. “Jesus nos ensinou a não irmos contra aqueles que pregam o evangelho, a despeito de suas atitudes”, diz ele. “Desde o início, éramos acusados disto ou daquilo, primeiro porque admitíamos rock no altar, depois porque não tínhamos usos e costumes. Isso não nos preocupa. O que não é de Deus vai desaparecer, e não será por obra dos julgamentos.” A Igreja Universal do Reino de Deus – que, na terceira semana de julho, anunciou a construção de uma “réplica do Templo de Salomão” em São Paulo, com “pedras trazidas de Israel” e “maior do que a Catedral da Sé” – também foi procurada por ÉPOCA para comentar os movimentos emergentes e as críticas dirigidas à igreja. Por meio de sua assessoria, o bispo Edir Macedo enviou um e-mail com as palavras: “Sem resposta”.

O sociólogo Ricardo Mariano, autor do livro Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil (Editora Loyola), oferece uma explicação pragmática para a ruptura proposta pelo novo discurso evangélico. Ateu, ele afirma que o objetivo é a busca por uma certa elite intelectual, um público mais bem informado, universitário, mais culto que os telespectadores que enchem as igrejas populares. “Vivemos uma época em que o paciente pesquisa na internet antes de ir ao consultório e é capaz de discutir com o médico, questionar o professor”, diz. “Num ambiente assim, não tem como o pastor proibir nada. Ele joga para a consciência do fiel.”

A maior parte da movimentação crítica no meio evangélico acontece nas grandes cidades. O próprio pastor Kivitz afirma que “talvez não agisse da mesma forma se estivesse servindo alguma comunidade em um rincão do interior” e que o diálogo livre entre púlpito e auditório passa, necessariamente, por uma identificação cultural. “As pessoas não querem dogmas, elas querem honestidade”, diz ele. “As dúvidas delas são as minhas dúvidas. Minha postura é, juntos, buscarmos respostas satisfatórias a nossas inquietações.”

Por isso mesmo, Ricardo Mariano não vê comparação entre o apelo das novas igrejas protestantes e das neopentecostais. “O destino desses líderes será ‘pescar no aquário’, atraindo insatisfeitos vindos de outras igrejas, ou continuar falando para meia dúzia de pessoas”, diz ele. De acordo com o presbiteriano Ricardo Gouveia, “não há, ou não deveria haver, preocupação mercadológica” entre as igrejas históricas. “Não se trata de um produto a oferecer, que precise ocupar espaço no mercado”, diz ele. “Nossa preocupação é simplesmente anunciar o evangelho, e não tentar ‘melhorá-lo’ ou torná-lo mais interessante ou vendável.”

O advento da internet foi fundamental para pastores, seminaristas, músicos, líderes religiosos e leigos decidirem criar seus próprios sites, portais, comunidades e blogs. Um vídeo transmitido pela Igreja Universal em Portugal divulgando o Contrato da fé – um “documento”, “autenticado” pelos pastores, prometendo ao fiel a possibilidade de se “associar com Deus e ter de Deus os benefícios” – propagou-se pela rede, angariando toda sorte de comentários. Outro vídeo, em que o pregador americano Moris Cerullo, no programa do pastor Silas Malafaia, prometia uma “unção financeira dos últimos dias” em troca de quem “semear” um “compromisso” de R$ 900 também bombou na rede. Uma cópia da sentença do juiz federal Fausto De Sanctis (lembre AQUI) condenando os líderes da Renascer Estevam e Sônia Hernandes por evasão de divisas circulou no final de 2009. De Sanctis afirmava que o casal “não se lastreia na preservação de valores de ética ou correção, apesar de professarem o evangelho”. “Vergonha alheia em doses quase insuportáveis” foi o comentário mais ameno entre os internautas.

Sites como Pavablog, Veshame Gospel, Irmãos.com, Púlpito Cristão, Caiofabio.net ou Cristianismo Criativo fazem circular vídeos, palestras e sermões e debatem doutrinas e notícias com alto nível de ousadia e autocrítica. De um grupo de blogueiros paulistanos, surgiu a ideia da Marcha pela ética, um protesto que ocorre há dois anos dentro da Marcha para Jesus (evento organizado pela Renascer). Vestidos de preto, jovens carregam faixas com textos bíblicos e frases como “O $how tem que parar” e “Jesus não está aqui, ele está nas favelas”.

A maior parte desses blogueiros trafega entre assuntos tão diversos como teologia, política, televisão, cinema e música popular. O trânsito entre o “secular” e o “sagrado” é uma das características mais fortes desses novos evangélicos. “A espiritualidade cristã sempre teve a missão de resgatar a pessoa e fazê-la interagir e transformar a sociedade”, diz Ricardo Agreste. “Rompemos o ostracismo da igreja histórica tradicional, entramos em diálogo com a cultura e com os ícones e pensamento dessa cultura e estamos refletindo sobre tudo isso.”

Em São Paulo, o capelão Valter Ravara criou o Instituto Gênesis 1.28, uma organização que ministra cursos de conscientização ambiental em igrejas, escolas e centros comunitários. “É a proposta de Jesus, materializar o amor ao próximo no dia a dia”, afirma Ravara. “O homem sem Deus joga papel no chão? O cristão não deve jogar.” Ravara publicou em 2008 a Bíblia verde, com laminação biodegradável, papel de reflorestamento e encarte com textos sobre sustentabilidade.

Segue PavaBlog

Deixe um comentário

Os bonzinhos e bem-comportados são uma desgraça de coisa nenhuma…


Sem agenda de sacerdote e levita, façamos o que tem de ser feito!

Soa como loucura hoje, no meio desses mega problemas, os quais envolvem tudo de tudo, do meio ambiente à perturbação da mente humana, pensar que um grupo de discípulos de Jesus pode ainda fazer qualquer sentido no mundo.

No entanto, se não fossemos judeu-evangélicos, sentindo-nos em relação ao Evangelho exatamente como alguns se sentiram em relação a ficarem em Jerusalém ao invés de irem ao mundo pregar a Palavra, existindo com a síndrome dos peixes de aquário, com complexo de passarinho de gaiola, sofrendo da sensação de produtividade de um hamster em roda de gaiola, contentes com a embaixada social da associação igreja, e dando banana para o mundo perdido, saberíamos que apesar de nossa fraqueza, incapacidade e inexpressividade, se fossemos às ruas, becos, encruzilhadas da terra, e todos os guetos, grupos e antros sociais, e apenas pregássemos, sem fixação em púlpitos, e sem crer que ministério só acontece dentro da “igreja” e de crente para crente, mas, muitos antes disso, como algo que acontece no caminho, e como resultado da paixão de cada um por Jesus, e isso feito em amor amigo e fraterno entre eles, geraria como resultado uma revolução simples, barata, poderosa, em cada canto da terra, e sem astros como atrações.

Se parássemos de ficar falando de Deus, estudando Deus, compreendendo Deus, defendendo Deus, trabalhando em escritórios de Deus, em entidades de Deus, em assembléias para tratar das coisas de Deus, sem comprar ou vender terreno para Deus, sem perder todo esse tempo “com Deus”, e, como o samaritano, sem agenda de sacerdote e levita, apenas fizéssemos o que tem de ser feito, e vivêssemos o fruto genuíno do Evangelho em nós, sem temor quanto a pregar, a orar com necessitados em qualquer lugar, até na sauna — então, subitamente veríamos que hoje mesmo, algo sem paralelos aconteceria na Terra.

Para isso também é fundamental parar de ficar explicando Deus para os religiosos assumidos e definidos. Pregar para cristãos de casca grossa não é cumprir a grande comissão de Mateus 28. É distração do inferno nos afastando para pregação a quem quer ouvir.

Provavelmente 95% da energia gasta pelos “cristãos” seja expendida em discussões entre “cristãos”. E no fim do dia a pessoa sente que se dedicou à obra de Deus. Tudo engano. São apenas os Templários modernos procurando o seu Santo Graal.

“Levanta. Toma teu leito, teu púlpito e tua algema de microfones, e anda enquanto é dia!”

Caio Fábio

Via PavaBlog

, , ,

Deixe um comentário

O deserto revisitado


Então foi conduzido o famoso pastor evangélico pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome. Chegando, então, o tentador, disse-lhe: se tu és ministro do Evangelho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. Mas o famoso pastor evangélico lhe respondeu: Está escrito: nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és ministro do Evangelho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Replicou-lhe o famoso pastor evangélico: também está escrito: não tentarás o Senhor teu Deus.

Novamente o diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; e disse-lhe: tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares.

Depois de muito pensar, já cansado daquele deserto, daquela gente da igreja só trazendo problemas, das fofocas, da falta de dinheiro, da falta de reconhecimento de seus diplomas de teologia, psicologia, administração e nutrição, pensou bem, passou gel no cabelo, arrumou bem os óculos, fez cara de compenetrado, arrancou o bigode e disse: o jatinho, o horário na TV, o haras no interior de São Paulo, a empresa de televendas e a mansão em Boca Raton estão incluídos no negócio?

Digão

Via Genizah

, , ,

Deixe um comentário

CONFISSÃO DE ARREPENDIMENTO COMO PEDIDO DE SALVAÇÃO PARA O MINISTÉRIO!


Nunca antes de hoje eu ouvira falar de Davi Silva; e do Ministério Casa de Davi ouvira umas poucas vezes; de tão longe que me pus de toda essa salada evangélica.

Então, hoje, depois de ficar três meses sem abrir os e-mails, recebi inúmeros links para ver um homem grande, com algum sotaque americano no fundo da fala, e, ao seu lado, um homem magrinho; ambos liam algo, um texto de confissão num teleprompter…

O homem grande falava da centralidade do arrependimento para que venha o reino de Deus…

Depois passou a palavra o homem/magro, chamado Davi…

Davi disse que mentia muito; que fazia assim desde menino; que já fora flagrado antes; mas que agora [insinuando um grande flagrante], aproveitava a oportunidade para se curar e confessar como inventava testemunhos ou os tornava evangelásticos ao extremo…

Pelo que percebi o tal ministério vive de contar histórias, e, quem sabe, também estórias…

Vi também que o grande temor deles [senti que havia também uma vontade sincera em algumas falas do homem grande] — é que o “ministério” sofra com o escândalo das mentiras do Davi.

Assim, mesmo sem nada deles saber […] vi que lá tudo é fundado em testemunhos de milagres e nas experiências místicas; o que, pela ênfase, invariavelmente leva ao misticismo…

Notei também que eles vivem de “Seminários” e de venda de CDs de “louvores” e de “testemunhos” de milagres…

Daí a angustia ministerial do homem grande quanto a que não se parasse de comprar os testemunhos e os CDs; mesmo os do Davi; e mais: que em breve se fará uma limpa nos CDs a fim de que fiquem somente os testemunhos sem mentira…

Leia +

, , ,

Deixe um comentário

As mentiras de Davi Silva (e de tantos outros pregadores)


Confesso que fiquei chocado e surpreso com a carta de confissão de Davi Silva, conhecido nacionalmente por fazer parte do ministério Casa de Davi de Londrina. Mas, também passei a admirá-lo como pessoa, – nem tanto como cantor – pela atitude corajosa de pedir perdão ao povo evangélico brasileiro. Davi confessa em sua carta que mentia a respeito de certas experiências – que não são explicitadas na carta – de enfermidades das quais fora curado, de experiências com Deus que nunca teriam acontecido; e colocava uma pitada de mentira em experiências reais para dar glamour e impressionar seu auditório.

Na realidade, o Davi Silva só decidiu pedir perdão depois que alguém denunciou suas mentiras ou, como ele dá a entender que foi flagrado em seu pecado! E se nunca ninguém tivesse denunciado as mentiras? Continuaria a mentir? Não seria esta a razão de seu arrependimento, o fato de que alguém descobriu e o denunciou? E dizer que o ministério Casa de Davi – da qual ele fazia parte – ensinava sobre adoração, pregava o arrependimento, levava as pessoas ao transe espiritual, e criou a modalidade de adorar de costas para o povo! Agora entendo: É preciso adorar de costas para que não fique evidente o engano! Era essa a geração de João Batista?

Ele mesmo confessa que se tivesse se arrependido das mentiras dez anos atrás “as conseqüências não teriam sido tão graves”. Sim, Davi. Agora, reveja tudo o que você fez e falou, filtre o falso do verdadeiro e desminta ponto por ponto tudo o que você pregou! Pelo menos é isso o que você se propõe fazer: “Ainda estou apurando todos os testemunhos que contei. Peço sua paciência enquanto eu apuro toda a verdade durante esse período. Nos próximos meses escreverei um documento onde serão relatadas as verdades e mentiras dos testemunhos que tenho contado”.

Se por um lado elogio a iniciativa de Davi Silva, por outro fico a pensar sobre o espírito de engano e de mentiras que ele transmitiu sobre milhares de pessoas com imposição de mãos e na transmissão de “unção”. É de se pensar o que aconteceu com as pessoas que foram alvos de sua ministração; a estas recomendo que façam um autoexame para ver se estão também mentindo ou não!

Esse irmão (nordestino?) é cabra macho em todos os sentidos porque teve coragem de enfrentar seu pecado particular e o fez porque um dos fundamentos da fé e obediência de Hebreus 6.1 é o arrependimento de obras mortas pelas quais seremos julgados no julgamento de Cristo. É melhor passar vergonha pelos pecados cometidos aqui na terra do que ser envergonhado no céu no momento do juízo e do recebimento do galardão de Cristo.

Mas, a atitude dele deveria ser imitada por muitos cantores e pregadores que vivem uma vida de falsidade, relatando ao seu público experiências nunca acontecidas, recheadas de mentiras com o fim de angariar dinheiro e fama que doutra sorte não receberiam se fosse pessoas normais. Porque muitos pregadores em evidência na igreja brasileira fazem relatos extravagantes, contam um conto e aumentam um ponto; fazem acréscimos às raras experiências com Deus; fazem de conta que estão cheios do Espírito falando em línguas, profetizando, com encenações artísticas e circenses para comover seu auditório.

E os pastores que convidam cantores e pregadores deveriam usar dos recursos tecnológicos para se informar melhor sobre seus convidados!

E esses cantores e pregadores estão aí, no púlpito de nossas igrejas, em passeatas nas Marchas Para Jesus enchendo o bolso com milhares de reais que nunca declaram ao IR enriquecendo-se ilicitamente. Nem posso afirmar que enriquecem ilicitamente com o evangelho, porque tais pessoas nem evangelho de Cristo pregam! Não me refiro com essa declaração ao Davi Silva, porque este sim, finalmente, depois de anos de engano e de enganar o povo foi alcançado pelo evangelho que pregava!

São pessoas que falam em manifestações de anjos, em poder do Espírito Santo, que pulam, deitam, rolam nos púlpitos, entram em transe espiritual com o único fim de conseguir fama e dinheiro! Pessoalmente já assisti tantas performances de cantores e pregadores, mas nunca fui iludido por estes. Eu sei o que a natureza humana e uma mente inteligente podem fazer com coisas “espirituais”!

Aprendam com Dorcas que foi ressuscitada pela oração de Pedro e voltou à sua rotina de costureira dos pobres; aprendam com Pedro que realizava milagres e maravilhas apenas com a sombra de seu corpo, mas que jamais se gloriou disso; aprendam com Paulo que levou catorze anos para relatar que esteve no céu, e mesmo assim, se deu conta de que não deveria relatar a experiência.

Aprendam também com os velhos pregadores que ainda pregam o verdadeiro evangelho de Cristo, aprendam conosco – e podemos afirmar com sinceridade – que ao longo de 46 anos de ministério sempre evitamos usar os dons de Deus para proveito próprio e que limitamos nosso comportamento e o restringimos à Palavra de Deus – pois muitos, por desprezarem a palavra de Deus entram numa dimensão do espírito de engano e de mentiras!

Trato sobre isso em outros escritos, sobre a mística e a palavra; a fé e a razão.

Que meu irmão Davi Silva volte ao cenário brasileiro com autenticidade. E quero lhe dar um grande abraço quando o encontrar!

João A. de Souza Filho, pastor e escritor de vários livros s/ louvor e adoração.

Fonte PavaBlog

, , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: