Posts Marcados Ciência

Cientista prevê a “cura” do envelhecimento


Se as previsões de Aubrey de Grey estiverem certas, a primeira pessoa a comemorar seu aniversário de 150 anos já nasceu. E a primeira pessoa a viver até os mil anos pode demorar menos de 20 anos para nascer.

Biomédico gerontologista e cientista-chefe de uma fundação dedicada a pesquisas da longevidade, De Grey calcula que, ainda durante a sua vida, os médicos poderão ter à mão todas as ferramentas necessárias para “curar” o envelhecimento – extirpando as doenças decorrentes da idade e prolongando a vida indefinidamente.

“Eu diria que temos uma chance de 50% de colocar o envelhecimento sob aquilo que eu chamaria de nível decisivo de controle médico dentro de mais ou menos 25 anos”, disse De Grey numa entrevista antes de proferir uma palestra no Britain’s Royal Institution, uma academia britânica de ciências.

“E por ‘decisivo’ quero dizer o mesmo tipo de controle médico que temos sobre a maioria das doenças infecciosas hoje”, acrescentou. De Grey antevê uma época em que as pessoas irão ao médico para uma “manutenção” regular, o que incluiria terapias genéticas, terapias com células-tronco, estimulação imunológica e várias outras técnicas avançadas.

Ele descreve o envelhecimento como o acúmulo de vários danos moleculares e celulares no organismo. “A ideia é adotar o que se poderia chamar de geriatria preventiva, em que você vai regularmente reparar o danos molecular e celular antes que ele chegue ao nível de abundância que é patogênico”, explicou o cientista, cofundador da Fundação Sens (sigla de “Estratégias para a Senilitude Programada Desprezível”), com sede na Califórnia.

Não se sabe exatamente como a expectativa de vida vai se comportar no futuro, mas a tendência é clara. Atualmente, ela cresce aproximadamente três meses por ano, e especialistas preveem que haverá 1 milhão de pessoas centenárias no mundo até 2030.

Só no Japão já há mais de 44 mil centenários, e a pessoa mais longeva já registrada no mundo foi até os 122 anos. Mas alguns pesquisadores argumentam que a epidemia de obesidade, espalhando-se agora dos países desenvolvidos para o mundo em desenvolvimento, poderá afetar a tendência de longevidade.

As ideias de De Grey podem parecer ambiciosas demais, mas em 2005 o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) ofereceu um prêmio de 20 mil dólares para qualquer biólogo molecular que provasse que as teorias da Fundação Sens são “tão erradas que nem são dignas de um debate bem informado”. Ninguém levou a bolada.

O prêmio foi instituído depois que um grupo de nove cientistas influentes atacou as teorias de Grey, qualificando-as de “pseudociência”. Os jurados concluíram que o rótulo não era justo, e argumentaram que o Sens “existe em um meio termo de ideias ainda não testadas que algumas pessoas podem considerar intrigantes, mas das quais outras estão livres para duvidar.”

Terra

Anúncios

Deixe um comentário

O Grande Colisor e o desvendar da mente de Deus


O Grande Colisor, o acelerador de partículas inaugurado a 10 de setembro – com 27km de circunferência, construído sob as fronteiras da Suíça e da França – é para a física o que o telescópio é para a astrofísica.

Seu princípio operacional baseia-se na famosa equação de Einstein – E=mc2 (E é energia; m, massa; c, velocidade da luz). A quantidade de energia concentrada numa porção de matéria equivale à sua massa multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz. A velocidade da luz é de 300 mil km por segundo.

Se a energia tem massa, 1 kg de carvão, convertido totalmente em energia, produziria 25 bilhões de quilowatt-hora (kwh) de eletricidade. Toda a energia elétrica gerada nos EUA, somada à do Brasil, não chega a 15% disso.

Antes de Einstein, ninguém supôs que energia e massa se igualassem. A constante c, aparentemente inofensiva, representa um número astronômico – o quadrado da velocidade da luz. Se extrairmos energia de uma colherada de água, ela será suficiente para que um transatlântico atravesse o Atlântico mil vezes.

O que se pretende com o acelerador de partículas é captar a energia primitiva que deu início ao Universo há 13,7 bilhões de anos – o Big Bang. Ele é como uma imensa serpente brotando de um pequeno balão de hidrogênio, cujas válvulas, controladas por computadores, liberam jatos de gás, como se fosse uma brincadeira de criança. No entanto, em cada um daqueles jatos há mais prótons do que a soma de todas as estrelas da Via Láctea.

As minúsculas nuvens de gás entram pela cavidade elétrica do gerador que separa os elétrons dos átomos de hidrogênio, como quem arranca o halo de luz de uma estrela, e lançam os prótons, primeiro, por um túnel de grande velocidade; em seguida, por um cano estreito como uma mangueira de jardim, mas com cerca de 5 km de extensão. Dentro desse anel os prótons são acelerados por pulsão provocada por eletroímãs, enquanto ímãs focalizadores os reúnem num feixe tão fino quanto a grafite de um lápis.

Ao atingir uma velocidade próxima à da luz, a massa inicial aumenta cerca de 300 vezes, graças à própria velocidade. Neste momento, são desviados do anel e lançados contra um alvo dentro de um detector. Seus rastros, captados pelo campo magnético do detector, revelam a identidade da partícula.

Os aceleradores seriam como estrelas mecânicas; sua temperatura, elevada a milhões de graus, pode fazer com que as partículas se movam tão rapidamente como no coração das estrelas. No anel do acelerador, prótons e antiprótons percorrem trajetórias opostas em velocidades próximas à da luz, colidindo um milhão de vezes por segundo – e, assim, fragmentando os átomos em suas partículas mais genuínas, entre as quais o quark top, o último dos seis tijolos fundamentais da matéria a ter sua existência comprovada, em 1995.

Quanto mais aperfeiçoado o acelerador de partículas, mais serão descobertas novas partículas. Assim, os cientistas se perguntam se algum dia essa “arqueologia” da matéria findará – ao se depararem com aquela partícula que seria, afinal, a mais elementar, base de todas as demais.

O acelerador nos aproxima do parto gerador do Universo. Para as nossas dimensões de tempo, alcançar o que sucedeu 1 centésimo de segundo após a Criação é fantástico. Que importa saber o que ocorreu 1 decimilibilionésimo de segundo antes que você decidisse piscar o olho, como fez agora? No entanto, quando se trata da evolução da matéria, cada fragmento de segundo é como um século para a história humana.

Sabe-se, hoje, o que teria ocorrido nos três primeiros minutos após a explosão do Ovo Primordial que continha todo o Universo, o Big Bang. Mas isto não basta, muitas outras coisas se passaram na fornalha original antes daquela fração de segundo.

O que a ciência procura é se aproximar do momento em que o átomo inicial não se conteve e, pleno, abriu-se como um botão de rosa que exibe pétalas em todas as direções. Assim, ficaremos sabendo um pouco mais a respeito das raízes de nossa universal e holística árvore genealógica.

O que fazia Deus antes de criar o Universo? A resposta foi dada por Santo Agostinho, no século IV: “Preparava o inferno para quem faz esse tipo de pergunta”.

Quem aprecia culinária e gosta de pilotar um fogão saiba que os ingredientes da receita para fazer o Universo são simples: 76,5% de hidrogênio; 21,5% de hélio e 2% de outros elementos químicos.

De preferência, o cozinheiro deve ter mãos divinas.

Frei Betto, autor de 51 livros, editados no Brasil e no exterior. Estudou jornalismo, antropologia, filosofia e teologia. Frade dominicano.

Divulgação Genizah

Deixe um comentário

Por que as trilhas sonoras dos filmes de terror assustam


Cena de Psicose, do diretor Alfred Hitchcock (Foto: Divulgação)
Você já se perguntou porque as músicas dos filmes de suspense e terror fazem o seu corpo tremer? Cientistas da Universidade da Califórnia resolveram desvendar esse mistério. De Psicose a Tubarão, eles descobriram que os sonoplastas misturam às músicas sons que imitam gritos de animais ou mulheres aterrorizados e sob pressão.

Para o estudo, o professor Daniel Blumsteisn e sua equipe analisaram 102 filmes que fizeram sucesso, desde longas de guerra e drama, até os de terror e aventura. O interesse deles era não somente nas trilhas sonoras, mas também nos efeitos especiais e gritos dos personagens. Além disso, os pesquisadores contaram com a ajuda de um compositor, Peter Kaye, da Universidade de Kingston, em Londres.

A análise desse repertório mostrou que os filmes de terror tinham mais gritos femininos, enquanto os de aventura tinham mais berros masculinos. Nos longas de terror também havia um número maior de mudanças bruscas de sons nas faixas musicais. Por outro lado, os filmes dramáticos apresentavam menos gritos e menos mudanças abruptas no som do que qualquer outro gênero de filmes.

Os pesquisadores concluíram, então, que o uso de sons não-lineares, aqueles que usam notas distorcidas e que são amplificadas à medida que a trama avança, não é por acaso. Eles são usados para elevar o impacto emocional das cenas.

“A não-lineariedade geralmente é produzida quando animais estão sob pressão, como os gritos de medo que eles produzem quando estão sendo atacados por predadores”, afirmou Daniel Blumsteisn. “Nos mamíferos e possivelmente nos pássaros, quando você empurra uma grande quantidade de ar pela laringe você produz sons não-lineares e isso pode ser interpretado como um sinal de medo”, acrescentou o pesquisador.

Veja

, ,

Deixe um comentário

Cuidado com os crentes


Animação criativa e bem-humorada estrelada por Richard (Rick) Dawkins, um dos líderes do neoateísmo, autor de Deus:um delírio. A ironia é tão final e sutil, que Dawkins chegou a achar que era uma homenagem, em especial porque o refrão fala dos seus diplomas.

Escrito por Matt Chandler e realizada por Michael Edmondson, na verdade é um viral para promover o filme Expelled. O filme é uma espécide de documentário cristão que trata do embate entre criacionistas e evolucionistas pela decisão do que será ensinado em sala de aula a respeito da origem do mundo.

Para saber mais sobre a animação, o filme e a controvérsia, clique aqui (em inglês).

Via PavaBlog

, ,

Deixe um comentário

Terra vista de marte


Esta é a primeira imagem da terra tomada a partir da superfície de um planeta bem além da lua. Ela foi tirada pelo spirit mars exploration rover em sua missão antes do amanhecer.

Superperolas

, , ,

Deixe um comentário

Hawking: homem deveria evitar contato com eventuais ETs


LONDRES (AFP) – Os extraterrestres podem existir, mas os homens deveriam evitar qualquer contato com eles porque as consequências poderiam ser devastadoras, advertiu o astrofísico britânico Stephen Hawking, em um programa exibido no domingo pelo canal Discovery Channel.

“Se os extraterrestres nos visitassem, o resultado seria mais importante do que quando Cristóvão Colombo chegou à América, o que não foi positivo para os índios americanos”, afirmou o cientista.

“Extraterrestres evoluídos poderiam talvez ser nômades e querer conquistar e colonizar os planetas que forem conhecendo”, completou na nova série “No Universo com Stephen Hawking”.

Na hipótese da existência de vida extraterrestre, o astrofísico destacou que “o verdadeiro desafio consiste em saber com que se parecem atualmente os ‘aliens'”.

O homem já fez várias tentativas de contato com civilizações extraterrestres. Em 2008, a Nasa, a agência espacial americana, emitiu no espaço a canção dos Beatles “Across the Universe” para mandar uma mensagem de paz a eventuais extraterrestres. A mensagem deve chegar à região de Polaris em 2439.

Stephen Hawking, 68 anos, mundialmente conhecido pelos trabalhos sobre o universo e a gravidade, é autor de “Uma Breve História do Tempo”, um dos maiores êxitos da literatura científica, e de “O Universo numa Casca de Noz”.

Yahoo

Pelo contrário, o universo é que teme as viagens do homem…esse é o ser mais temível da criação.

, , ,

Deixe um comentário

Deus, Um Delírio: O Debate


Richard Dawkins e John Lennox debatem sobre o famoso livro “Deus, um delírio”.

Vale a pena conferir todos os vídeos Aqui

, , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: