Análise feminina sobre crítica masculina ao corpo de Cléo Pires


Quando digo que estou preocupado com essa nova geração cada vez mais colorida não é à toa. Os garotos da minha época “liam” Playboy, os de agora leem Capricho. De fato não se fazem mais homens como antigamente! rs Essa safra que criticou o corpo da Cléo Pires na Playboy veio estragada; só pode! Os homens de hoje parecem não gostar de mulheres de verdade. Vão acabar trocando uma mulher de verdade por uma photoshopada e virtual. É como li outro dia no Twitter: “Antigamente a parada era Sexo, Drogas e Rock ‘n’ Roll. Hoje em dia está mais para Punheta, Smirnoff Ice e Restart“. Vejam o que uma mulher de verdade pensa a respeito dessa “masculinidade” toda no texto a seguir:

O texto abaixo é de autoria da tradutora e intérprete Sílvia Marques, que se viu indignada com as críticas masculinas feitas ao corpo de Cléo Pires no ensaio da Playboy.

Pedi autorização à ela para reproduzir seu texto aqui por também partilhar da ideia de que a grande maioria dos homens, principalmente os das novas gerações, tem transportado para a vida real o conceito de beleza apresentado no universo photoshopado, siliconado e pornográfico.

A coisa chega a tal ponto que independente do gosto ou favoritismo a um biótipo feminino específico, a beleza natural parece chocar e a beleza fabricada passa a ser a nova natural. Preocupante.

O homem brasileiro anda muito boiola. É isso mesmo. Estava lendo os comentários de uns rapazes sobre a Playboy da Cleo Pires e de repente percebi que o homem brasileiro não gosta mais de mulher! As “críticas” se referiam ao fato dela ter os seios pequenos, mamilos escuros, pelos pubianos e, provavelmente, lábios vaginais escuros. Achei bizarro o espanto ao ver essas características em uma mulher morena.

Sinto informá-los, meninos, mas vocês têm atração sexual por travestis!

Sim, o que vocês consideram “mulher bonita” é, na verdade, um protótipo construído em mesa cirúrgica, resultante de procedimentos desenvolvidos para transformar homens em mulheres. Vejo características que muitos têm buscado e percebo que é um biótipo impossível de ser encontrado na natureza, uma überwoman: Cabelos loiros e lisos, traços finos, boca volumosa, pele bronzeada, seios grandes, cintura fina, bunda grande, pernas esguias, mamilos e lábios vaginais rosados, ausência de pelos.

Pois bem, não existe mulher na face da terra que consiga reunir naturalmente todas essas características, porque “isso” é um híbrido de muitos biótipos diferentes, e quem teve a ideia de pinçar o ponto forte de cada tipo físico para construir a supermulher foram sim os travestis (pois é, riam do Ronaldo agora).

A mulher naturalmente loira poderá ter traços delicados, seios grandes, partes íntimas rosadas e pernas esguias, mas não terá boca volumosa, bunda grande ou pele dourada. Já a morena (que é a brasileira típica, por sinal) terá pele dourada e corpo de violão, mas não terá cabelos loiros e lisos, partes íntimas rosadas, seios grandes, pernas esquias. Conseguem enxergar o paradoxo?

Para atender ao padrão de beleza, tanto a loira quanto morena terão que fazer modificações desnecessárias nos seus corpos. Sem contar a mulher negra e a oriental, que praticamente não têm nenhuma de suas características naturais nesse ideal estético, e a descedente de europeus que possui algumas características da loira, outras da morena, mas também não é 100% “perfeita”.

Ah… Tem também a questão dos pelos pubianos: Depilação total, nenhum pelo permitido. Parem de assistir tanto filme pornô! Essa depilação é útil na indústria pornográfica por uma questão técnica, a ausência de pelos permite a captação de detalhes pela câmera, mas na vida cotidiana… Sinceramente!

Muitos homens pressionam suas mulheres a se modificar, seja com uma tinta de cabelo, uma chapinha, uma cirurgia plástica ou uma depilação exagerada. E o pior, as mulheres aceitam. Digam não ao cabelo amarelo Carla Perez, mulheres! Digam não a chapas de metal fervendo seus miolos diariamente. Digam não a implantes e sucções desnecessários e perigosos. É importante se cuidar sim, mas para valorizar a sua beleza natural, não transformá-la em quem você não é.

E sabem o que vocês conseguem com essas exigências anatômicas, brasileiros? Conseguem fazer com que muitas mulheres, como eu, por exemplo, corram para os braços de homens estrangeiros, que não sofreram a lavagem cerebral dessa cultura demasiadamente sexualizada do Brasil e sabem, portanto, apreciar a beleza natural da mulher. Perguntar o que o homem gostaria de mudar em você e ouvir “nada, eu adoro o seu corpo como ele é” é um afrodisíaco poderoso.

Link para o texto original.

Fonte: Saber é bom demais

Via Thiago Mendanha

Anúncios

  1. #1 por Dani em 15/01/2012 - 18:07

    Muito bom o texto. Realmente esse tipo de mulher não existe. Tem muito homem que precisa acordar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: